www.bportugal.pt

Menu topo

Imagem com acções feitas pelo cliente bancário e para as quais existe informação neste site

Menu de contexto

Perguntas frequentes

1 - Como se calcula o juro corrido?

O juro corrido resulta da taxa de juro aplicada (crédito ou depósito) por um determinado período de tempo a um determinado capital (em dívida ou depositado). Em termos genéricos, o montante inicial de capital gera no final de um determinado período, um juro (juro corrido) que será necessariamente proporcional à duração dessa sua aplicação. O juro será igual ao produto do capital inicial, pela taxa de juro inicialmente contratada e pelo prazo decorrido.

2 - O que é a Euribor?

A Euribor é a principal taxa de juro de referência do mercado monetário do Euro. A Euribor é cotada diariamente para 15 prazos distintos (1, 2 e 3 semanas, 1 mês, 2, 3, 4, 5, 6, 7 , 8, 9, 10, 11 e 12 meses). A taxa Euribor é o indexante de referência para os créditos com taxa de juro variável. A evolução dos valores da Euribor depende, nomeadamente, da taxa de juro oficial definida pelo Banco Central Europeu (BCE), do grau de liquidez do sistema financeiro e das expectativas dos agentes financeiros quanto ao comportamento futuro da inflação e da política monetário do BCE.
 
O cliente quando recorre à Euribor a 1 mês nos créditos que contrata, essa taxa mantém-se constante durante esse período. Quando pretende que a taxa de juro permaneça fixa durante 3 meses deve optar pela Euribor a 3 meses. Em condições normais de mercado, quanto maior o prazo da Euribor maior o seu valor, mas também maior é o período em que a taxa de juro se mantém inalterável.

3 - O que é o spread?

Quando o cliente recorre a empréstimos a taxa variável paga uma taxa de juro mais elevada do que a Euribor para o prazo que escolheu. A diferença entre essa taxa de juro que lhe é atribuída pela instituição de crédito e o valor da Euribor é chamada de spread (diferença, em inglês). A taxa de juro paga pelo cliente é assim superior à Euribor, que é o indexante utilizado na fixação do custo do crédito que os bancos na sua generalidade concedem uns aos outros.
 
O valor do spread  depende de vários fatores, designadamente do risco de crédito do cliente, da finalidade do crédito, das características do empréstimo, das garantias dadas pelo cliente e da eventual aquisição de outros produtos e/ou serviços pelo cliente. As instituições não estão obrigadas a observar limites mínimos ou máximos na fixação do spread.

4 - Qual a taxa de juro a ter em conta para comparar créditos?

A taxa de juro, livremente negociada entre a instituição de crédito e o cliente bancário, é apenas uma das componentes do “preço” a pagar pela obtenção do empréstimo. Como o cliente tem de suportar, em geral, outros encargos e despesas deve comparar as várias propostas com base na taxa anual efetiva - TAE - que traduz o verdadeiro custo do crédito. As instituições de crédito estão obrigadas a calcular e a divulgar a TAE aquando a apresentação de uma proposta de crédito.

5 - Qual a diferença entre a TAE e a TAEG?

A TAE (taxa anual efetiva) é taxa de juro que torna equivalentes, numa base anual, os valores atualizados do conjunto das prestações realizadas ou a realizar pelo cliente. A TAE representa, assim, o verdadeiro custo a suportar. A TAEG é a taxa anual de encargos efetiva global e representa o custo total do crédito para o consumidor expresso em percentagem anual do montante do crédito concedido.
 
No cálculo da TAEG incluem-se despesas de cobrança de reembolsos e pagamentos de juros além dos restantes encargos obrigatórios a suportar. A TAEG difere da TAE por incluir também os impostos associados ao contrato de crédito (imposto de selo, etc.).

Acessibilidade [D] Otimizado para uma resolução de 1024x768 pixeis
Banco de Portugal © 2009 Todos os direitos reservados.