Banco de Portugal destacou a importância das parcerias na formação financeira em conferência da OCDE/INFE

O Banco de Portugal participou na conferência internacional “Financial Education of the Future”, organizada conjuntamente pela OCDE-INFE e pela Financial Sector Conduct Authority da África do Sul, que teve lugar nos dias 23 e 24 de maio, na Cidade do Cabo.

Nesta conferência foram debatidos os desafios da formação financeira, num contexto de mudanças ao nível da oferta de produtos e serviços financeiros (com a crescente comercialização destes produtos através de canais digitais) e de alterações nas características da procura, em resultado do progressivo envelhecimento da população em muitos países e da entrada no mercado das novas gerações (os “millennials”). Foi também discutida a capacidade da formação financeira alterar comportamentos e foram analisados os resultados de alguns estudos da economia comportamental neste âmbito.

A Diretora do Departamento de Supervisão Comportamental do Banco de Portugal e Presidente da Comissão de Coordenação do Plano Nacional de Formação Financeira, Lúcia Leitão, interveio no painel “Trial and error: Lessons learnt from programme implementation and how these lessons have improved future projects”. Na sua intervenção, Lúcia Leitão destacou a importância de desenvolver parcerias estratégicas, para chegar aos diferentes públicos-alvo. A responsável do Banco de Portugal apresentou ainda o programa de educação financeira nas escolas do ensino básico e secundário (em Portugal) e a integração de conteúdos de formação financeira na formação profissional como dois casos de sucesso da estratégia do Plano Nacional de Formação Financeira.

 

INFE

 

A apresentação utilizada pode ser consultada aqui.

Esta conferência decorreu à margem da 11.ª reunião do Comité Técnico da International Network on Financial Education (INFE).

 

Sobre a INFE

A International Network on Financial Education (INFE) foi criada, em 2008, sob a égide da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) para promover princípios e boas práticas de formação financeira.

A INFE funciona como plataforma de recolha de dados e informação sobre a literacia financeira, com vista à elaboração de relatórios analíticos e comparativos e ao desenvolvimento de investigação e instrumentos de política. Nesta rede, participam entidades reguladoras, bancos centrais, ministérios das finanças e agências de educação financeira de países membros e não membros da OCDE.

O Banco de Portugal é membro fundador da INFE, faz parte do respetivo Conselho Consultivo (Advisory Board), órgão que estabelece orientações estratégicas, e participa em vários grupos de trabalho especializados desta rede.