Glossário

Caixa automático

Equipamento automático que permite aos titulares de cartões de pagamento com banda magnética e/ou chip aceder a um conjunto de serviços disponibilizados a esses cartões, designadamente: levantamento e depósito de numerário, consulta de saldos e movimentos de conta e, dependendo da rede utilizada, pagamentos de serviços ou transferências de fundos.


Caixa de crédito agrícola mútuo (CCAM)

Instituição de crédito de natureza cooperativa e bancária que possui um estatuto próprio. Destina-se essencialmente a promover e apoiar o investimento no sector agrícola através da concessão de crédito aos seus associados, podendo ainda praticar outro tipo de operações bancárias. Ver Instituição de crédito.


Caixa económica

Instituição de crédito associada ou pertencente a uma associação mutualista beneficente, de carácter social. As caixas económicas captam essencialmente poupanças de particulares sob a forma de depósitos e que aplicam na concessão de empréstimos garantidos por hipoteca ou por penhor. Ver Instituição de crédito.


Caixa Multibanco

Caixa automático que pertence à rede Multibanco. Ver Caixa automático.


Cancelamento da autorização de débito em conta (ADC)

Retirada de consentimento do devedor ao credor, com o intuito de o inibir de efetuar débitos na sua conta ao abrigo de uma determinada autorização de débito previamente concedida. O cancelamento da autorização de débito em conta não faz cessar a relação contratual existente entre o credor e o devedor.


Capital

Montante investido numa aplicação financeira ou obtido no âmbito de um contrato de crédito.


Capitalização

Agregação de juros vencidos ao capital, sendo calculados novamente juros sobre esse valor acumulado. São assim calculados juros sobre juros anteriormente vencidos. Por exemplo, uma capitalização trimestral numa aplicação financeira significa que os juros pagos no final de cada trimestre somam ao capital aplicado, sendo calculados juros no trimestre seguinte sobre o montante que resultou dessa soma. Ver Anatocismo.


Carência de capital

Período durante o qual as prestações de um empréstimo apenas são compostas por juros, mantendo-se o capital em dívida inalterado.


Carência de capital e juros

Período durante o qual não há pagamento de prestações de um empréstimo, sendo o valor dos juros acumulado ao capital em dívida. No final do período de carência de capital e juros, o montante em dívida corresponde ao capital em dívida no início do período de carência acrescido dos juros corridos e não pagos durante este período.


Carta circular (do Banco de Portugal)

Carta dirigida pelo Banco de Portugal a uma ou várias instituições supervisionadas com orientações de boas práticas, de caráter não normativo.